sábado, 27 de novembro de 2010

Entrevistando a Jornalista Laine Valgas


Foi com imensa satisfação que estivemos reunidos na noite do dia 16 de novembro por alguns momentos com nossa colega Laine Valgas, para nosso trabalho de interdisciplinar.



 Em primeiro momento nossa equipe fez a entrevista a Jornalista da RBS TV. Iniciamos com os agradecimentos por podermos contar com a presença da Laine, muito obrigada Laine pela por contribuir conosco.
 Após alguns dias da entrevista, encontramos no site do blog do clic RBS um vídeo da Laine dançando, não resisti e resolvi postar no meu também juntamento com as fotos de nosso trabalho. Não falta muito pro aniversário da Laine, deixo aqui meus parabéns, e votos de felicidades, paz e sucesso!
                 Abaixo uma breve biografia de nossa convidada.

Foto Rosane Reyche




     Biografia Laine Valgas

              Laine Valgas, natural de Florianópolis, é jornalista formada pela UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina, há 16 anos. Uma apaixonada pela música, pela dança, e é claro pelo jornalismo. Laine traz nas veias a paixão que herdou da família de músicos: cantava em barzinhos, com os pais, além de ser professora de Jazz, antes de ingressar na carreira de jornalista.

video
Retirado do Site da Rbs Tv



Começou na TVBV, afiliada da Rede Band, iniciando em 1994 como repórter, passando a apresentadora  do matinal Dia a Dia Santa Catarina e, em seguida, apresentadora e editora do “Jornal da Barriga Verde” chegando ao cargo de  Chefe de Jornalismo. No ano de 2000, integrou-se ao Grupo RBS, juntamente com a estréia da TVCOM. No canal, produziu e apresentou o programa “Falando Abertamente”, por 11 meses. Em maio de 2001, assumiu as funções de editora chefe e apresentadora do telejornal “Bom Dia Santa Catarina” na RBSTV. Paralelamente, também em 2001, assumiu a produção e apresentação do Programa Sala de Visitas, na TVCOM.
Em abril de 2007 foi convidada para fazer parte da equipe do “Jornal do Almoço”. No telejornal, exerce as funções de repórter, editora e apresentadora, produzindo, editando e apresentando Quadros como o “Cidadão JA“, onde a comunidade reivindica soluções de órgãos competentes, quadro que, aliás, retorna na próxima semana ao Jornal do Almoço. Outro Quadro comandado por Laine é o Missão Mudança, que pretende realizar sonhos, provocar transformações na vida do telespecatdor, desde a transformação visual, que mexe com a auto-estima, como reconciliações, viabilizar oportunidades profissionais, reformas de imóveis, carros, tratamentos de saúde, surpresas...
Ainda divide a bancada do Jornal do Almoço com os colegas Mário Motta e Márcia Manfro.
Desde abril de 2009, Laine também apresenta o programa “Redação TV” de segunda a sexta feira, que traz as principais notícias da manhã de todo o Estado de Santa Catarina e antecipa os principais fatos do dia. 
Laine foi premiada diversas vezes por seu trabalho.  Ressaltamos aqui o prêmio Microfone de Ouro 2010,  como Melhor Apresentadora de TV, da Acaert - Associação Catarinense de Rádio e Televisão.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Brasil e Dilma, uma nova perspectiva

video

Pela primeira vez na história elegemos uma mulher presidente. Eleita pelo povo, pelo voto da maioria. Acreditamos numa grande mudança para o Brasil. Numa política renovada, uma política com maior sensibilidade, própria da mulher. Nosso país foi às urnas e a maioria escolheu Dilma Rousseff como representante do povo brasileiro.




           
Dilma, uma mulher de fibra e coragem que lutou até o fim para que pudesse vencer uma luta democrática para o bem de todos brasileiros. Acreditamos que este possa ser um governo com pé no chão, pautado na responsabilidade e onde o povo seja visto com maior respeito. Sabemos que todos os governos trazem mudanças e que nem sempre estas mudanças satisfazem a todos. Tendo sido Dilma co-participante do governo anterior de Lula, e partindo do pressuposto que foi um governo onde o povo foi realmente valorizado e onde o país teve um crescimento econômico, onde a inflação deixou de ser um número exorbitante.
Foram criados vários programas que ajudaram e muito, aqueles menos favorecidos. A universidade, por exemplo, deixou de ser uma utopia para os que não faziam parte da classe média alta.  A bolsa família que auxiliou as famílias sem renda. Para que os desempregados pudessem ver o pão chegar a suas mesas. Parece pouco, ou quase nada, mas para aqueles que não tem nada, que passam fome, é muito. Afinal nenhuma mãe quer ver seus filhos pedindo comida, pedindo por um pão e ela desempregada, dizer: - Hoje não tem. Sabemos de famílias que procuravam o leito sem ter o que comer, mas a bolsa família mudou essa realidade. E eram muitas estas famílias. Como não agradecer, como não ver? Não podemos fechar os olhos para esta realidade. Para a classe mais alta isso não fez diferença. Mas com certeza para os pobres, para as mães e para seus filhos essa foi uma grande diferença. 






Além disso, o brasileiro passou a comprar mais, muitos deixaram a classe pobre passando para a classe média. O desemprego diminuiu consideravelmente.
Fala-se que, em time que está ganhando não se deve mexer, o mesmo se aplica em nosso governo, em nossa política. O Brasil acreditou, e vamos continuar acreditando, e ainda mais, vamos fazer nossa parte. Porque não podemos querer sempre exigir somente e cruzarmos os braços. Mas vamos sim colocar a mão na massa, com união e trabalho de cada um e de todos é que um país cresce e que o nosso país será um país melhor, não podemos esperar só que os governantes façam. Vivemos num grande país, somos parte de uma engrenagem, e não podemos deixar que nenhuma das peças falhe. Cada uma por menor que seja é importante para o funcionamento do todo. Precisamos mais que nunca nos dar conta que somos cidadões que têm direitos, mas também deveres. Unidos chegaremos a um fim comum, unidos alcançaremos o que tanto almejamos. Que nosso país seja melhor. E se pudermos espalhar isso pelo mundo, aí sim podemos nos dizer felizes, podemos nos dizer um povo unido.
Nosso Brasil hoje com a primeira presidente mulher eleita na história, está no caminho para grandes e importantes mudanças. Precisamos ser responsáveis e lembrarmos que somos uma nação e uma nação não se faz somente com um representante, com um presidente, mas com o povo, por isso não podemos nos distanciar de nossas responsabilidades, e repito: por que para termos direitos antes temos que cumprir novos deveres. Um povo que luta unido vence as batalhas da vida juntos.

Ismênia Nunes